Ao longo da História, não foi pequena a discussão acerca do que seria o mais importante para a sociedade. Pergunta-se: o que seria o imprescindível à existência? O que de fato garantiria ao Homem a sua satisfação?

     Durante anos houve quem disse que o mais valioso e importante seriam as riquezas. O ouro, a prata, o dinheiro, assim como mercadorias como o sal e o açúcar, tomaram o lugar de destaque na lista de desejos humanos, como garantia de satisfação. Alguns outros sábios retrucaram que o ser humano não se alimenta de metais e dinheiro e que por isso o mais relevante seria garantir a produção de alimentos, através da agricultura e da pecuária. Bem alimentado, o ser humano sobreviveria, certo?

     Não tão certo assim, afinal após alguns séculos, concluiu algum sociólogo por aí que a vida em sociedade seria melhor a partir da produção industrial e da geração de conhecimento científico.

     Nunca se findarão as discussões, porém há algo que é unânime em todos os discursos. A única coisa com que todos concordam é com o fato de que o trabalho é o elemento que permite que ocorra todos os itens listados para a vida digna em sociedade. É através do trabalho que acontece a agricultura, a pecuária, a produção industrial, o avanço científico ou qualquer outra área considerada imprescindível para a vida humana.

     Desta forma, não há desenvolvimento social sem trabalho. O ser humano se desenvolve e se realiza no trabalho, para então crescer através deste importante catalisador de acesso aos demais aspectos da vida.

     Até que haja trabalho, existe um caminhar até ele. Um bebê não nasce trabalhando. Após conseguir trabalhar, o Homem deve acessar os atributos de uma vida adulta digna. E após encerrar a vida de trabalho, o Homem requer que a sociedade o reconheça como alguém que contribuiu para que houvesse desenvolvimento.

     O “antes” de trabalhar, o “enquanto” se está trabalhando e o após “deixar” o trabalho representam os momentos de vida acobertados por nossa intervenção social, sempre pautadas em desenvolver potencialidades humanas e promover dignidade.

     Uma das formas de atuação do IDDS é gerar trabalho, treinar para o trabalho e intervir nas relações de trabalho. Seja como iniciativa social, ou como inciativa econômica cujo superávit é revertido às demais causas sociais que apoiamos, somos sempre apaixonados pelo trabalhar.